contador
KING WITH NO CROWN...
2 months ago on 4 February 2014 @ 4:54pm + 1 note

Saco cheio dessa rixa entre encorpadas/gordas e magras. Umas se vangloriando de seus peitos/bundas, outras de suas barrigas secas. Que saco. Não se acaba com um padrão impondo outro. O problema é que haja um padrão. Beleza não é uma coisa só. Beleza independe de padrões. Beleza tem muitas formas. Beleza é subjetiva. Beleza não é obrigatória. Engulam isso.

2 months ago on 24 January 2014 @ 7:32am

Moral da semana: é inevitável e eu sei que sempre vai ter alguém no mundo em uma situação pior que a minha, mas não é por isso que imediatamente vou ficar satisfeito com a minha condição. Em contra partida, sempre vai ter alguém em situação melhor, mas ficar me comparando só vai me deixar mais deprimido e iludido. Vida filha da puta.

3 months ago on 5 January 2014 @ 10:21am

Eu nunca consigo me destacar em algo. Seja na vida social, seja na amorosa, seja em qualquer outra coisa em questão. Ser apagado é isso aí. Conflitos internos. Dias entediantes contribuem muito pra pensamentos negativos.

3 months ago on 1 January 2014 @ 7:45pm

Não costumo fazer promessas de ano novo como se anos fossem coisas separadas. É uma divisão meramente didática. Porém, essa divisão tem uma função psicológica bacaninha. A gente acha que uma fase passou e realmente acaba criando motivação. Então, não tenho a ilusão de que só a virada de ano vai mudar alguma coisa. Cabem a mim as mudanças. Ao mesmo tempo, gosto dos rituais. Não pulo ondas, não solto fogos, mas acho que se eu passasse um ano novo sem celebrar, seria sem graça. Então, feliz ano novo a todos vocês!!! Façam valer a pena.

10 months ago on 6 June 2013 @ 9:25pm

Esse mundo é cheio de suposições idiotas. Suposições sem fundamento, sem entendimento e sem consideração nenhuma. Cheio deles. Me vejo vivendo em uma sociedade alternativa na minha mente, isolado e rodeado por povos que não reconheço nem entendo o dialeto. Porque quando nada faz sentido, alguma coisa aqui dentro abstrai. Um filtro anti-sobrecarga psiquica, que não funciona lá muito bem…

10 months ago on 27 May 2013 @ 8:48pm + 1 note

Que cada palavra que eu não digo não seja mal interpretada. Pois se me calo é porque tenho consciência da força que as palavras tem. Não existe emoções desperdiçadas, existe a falta delas. E esse é o maior dos pecados. Pois que sentido faz respirar, sem sentir o sopro que te faz viver? Não espero que o que escrevo faça muito sentido. Apenas espero tirar algumas coisas da cabeça, porque a superlotação aqui dentro tá demais. E que a serenidade guie meus passos e me dê a sabedoria de aprender com meus erros. Que minhas palavras sejam sinceras e livres de maldade.

11 months ago on 6 May 2013 @ 8:09pm

Não vejo futuro para uma raça que abdica de sua identidade e daquilo em que acredita em virtude de dogmas impostos pelo sentido do coletivo. Cansei de ouvir frases com “impostos pela sociedade”, as pessoas vestem suas próprias algemas por ficarem presas dentro de suas comodidades. Por se individualizarem entre sí, por fecharem os olhos, por serem grandessíssimos filhos da puta um com os outros. É sempre sozinho que a angústia toma conta. Sai fora do subconsciente e se instala de mala e cuia no consciente. Aceitar o inaceitável; acreditar no inacreditável; mudar o que achamos errado, com base na nossa bagagem e nos ensinamentos de nossos pais. Society..

11 months ago on 6 May 2013 @ 8:08pm

Tantas pessoas que amamos e moram perto da gente, ainda assim não arrumamos tempo para vê-las. Deixamos pra depois, e o depois nunca chega. A segurança de tê-las por perto e o fato de podermos visitá-las a qualquer hora são tão tangíveis, que o tempo vai passando sem percebermos. É muita saudade pra um único coração.

11 months ago on 6 May 2013 @ 8:07pm

Saudade de jogar futebol com os amiguinhos de pés descalços na rua, jogar a bola longe e ralar os joelhos no chão. Sinto falta até mesmo de passar merthiolate nos machucados, e passar minutos assoprando os joelhos. Tô pra dizer que o que aliviava a dor era o sopro, e o remédio servia somente de efeito placebo. Saudade de um tempo que está longe, e que não volta maisç.

11 months ago on 6 May 2013 @ 8:04pm

A palavra é a extensão de nossos pensamentos. É possível não se entender através de palavras, mas sim através de pensamento? Porque as vezes faltam as palavras, elas não existem ou não explicam a situação. São entendidas de modo diferente dados diferentes ouvidos. Elas ficam mais difíceis de serem compreendidas quando as usamos para identificar coisas abstratas e intangíveis que vivenciamos. Se houvesse ao menos uma disposição mútua para praticá-las, ou ainda inventá-las caso não existissem…. Dia longo..